PRESERVAR O PASSADO É CONSTRUIR O FUTURO


PRESERVAR O PASSADO É CONSTRUIR O FUTURO

Na ultima terça-feira apresentei Indicação de Nº 10807\2017 onde solicitei ao Poder Executivo que seja implantado sistema de segurança por meio de câmeras e/ou por presença física de Guarda Civil Municipal durante o período de funcionamento e/ou por patrulhamento noturno através de viaturas da Guarda Civil Municipal diariamente. 


Esclarecemos que a referida solicitação faz-se necessária, pois se trata de bem público tombado pelo Estado e de extrema importância para a preservação de nossas raízes culturais. 


segundo consta do site da Prefeitura do Município de Mauá: “... remanescente do período inicial da ocupação territorial paulista, o Casarão, atual Museu Barão de Mauá, foi construído no decorrer do século XVIII. Arquitetonicamente é considerado importante exemplar de Casa Bandeirista, tanto pelo esquema de planta adotado - de origem renascentista - quanto pela técnica de construção empregada, denominada taipa de pilão. Foi erguida com terra argilosa socada entre pranchões de madeira, proporcionando paredes de até 60 centímetros de espessura. Foi sede da grande fazenda denominada Bocaina. Na década de 1930, os sócios Pacheco, Victorino e Schimidt - responsáveis pelo loteamento da fazenda vendem a casa para Adolpho Augusto Ferreira. Desapropriada em 1982, se tornou sede do Museu Barão de Mauá...” representando assim um bem de grande valor histórico que minuciosamente precisa ser preservado.

 

“Um povo que não tem raízes acaba se perdendo no meio da multidão. São exatamente nossas raízes culturais, familiares, sociais, que nos distinguem dos demais e nos dão uma identidade de povo, de nação”. Pedroso (1999)