Chiquinho do Zaíra questiona criação de cargos e tem requerimento vetado pela base governista

Trata-se da solicitação de cópia do estudo de impacto orçamentário e financeiro com a criação de cargos comissionados


Chiquinho do Zaíra questiona criação de cargos e tem requerimento vetado pela base governista

Mais uma vez o vereador Chiquinho do Zaíra (Avante), voltou a ter um requerimento de sua autoria rejeitado. Dessa vez, foi o requerimento que pedia cópia do estudo do impacto orçamentário e financeiro do projeto de lei que aumentou cargos na Prefeitura de Mauá, rejeitado pela base governista na sessão desta terça-feira (23).Com isso, evidencia-se claramente manobra governista para engessar a função do vereador em fiscalizar o Poder Executivo e cobrar mais transparência na gestão. Apesar da medida retaliadora, Chiquinho do Zaíra irá oficiar o prefeito Átila Jacomussi solicitando as mesmas informações.

 Estranheza - Aprovado em caráter de urgência no último dia 10, o projeto número 66/18 enviado pelo Executivo chegou ao plenário causando estranheza ao vereador devido ao fato de chegar em cima da hora, sem tempo hábil para discussão. A iniciativa permitiu o aumento de 52 cargos comissionados na cidade que irão acarretar gastos estimados em R$ 4 milhões/ano para a população.

 Chiquinho ressaltou que apenas os cargos comissionados seriam 609, agora, por indicação, totalizariam mais de 1000 cargos na municipalidade. Já os novos cargos criados por meio deste projeto têm salários que variam de R$ 3.500,00 a R$ 9.700,00, sendo a maioria deles lotados na Secretaria de Saúde municipal, pasta comandada por Ricardo Burdelis.